De todas as marcas pesquisadas no Reino Unido, Espanha, Itália, Alemanha e França que compram anúncios programaticamente, impressionantes 86% agora hospedam a função internamente.

Isso é de acordo com uma pesquisa realizada pelo International Advertising Bureau (IAB) sobre o impacto que o GDPR está tendo na maneira como as empresas realizam os fundamentos de marketing à medida que tentam crescer de maneira compatível.

Relatórios detalhados divulgados pelo IAB – a associação comercial nacional para as indústrias de mídia e marketing digital – compararam o efeito de contar com instalações internas para a compra automatizada de publicidade online em países como Reino Unido, Espanha, Itália, Alemanha e França .

Os analistas dizem que a força da tendência nos países pesquisados ​​mostra a influência do GDPR da UE e oferece uma luz orientadora para marcas dentro e fora das fronteiras da UE sobre como obter insights de marketing compatíveis.

GDPR - Como se adequar a nova regulamentação Europeia - Dinamize

Das marcas pesquisadas nos seguintes países, o relatório revelou:

França – 88% mudaram a função internamente (43%) ou o fizeram parcialmente (45%)
Alemanha – 89% mudaram a função internamente (35%) ou o fizeram parcialmente (54%)
Itália – 86% mudaram a função internamente (45%) ou o fizeram parcialmente (41%)
Espanha – 78% mudaram a função internamente (32%) ou o fizeram parcialmente (46%)
Reino Unido. – 88% mudaram a função internamente (48%) ou o fizeram parcialmente (40%)
Incluídas na pesquisa foram entrevistas com líderes de marcas dos cinco países, das quais emergiu que as marcas tiveram um impacto nominal em seus negócios como resultado do RGPD.

Os dados também mostraram que mais de 76% das marcas do Reino Unido disseram que a qualidade de seus dados melhorou após a implementação do GDPR, enquanto 7% das marcas do Reino Unido disseram sentir fortemente que a quantidade de dados de segmentação diminuiu desde o início do GDPR no ano passado.

Leia:   Índice de qualidade dos anúncios do Google: como melhorar o desempenho dos anúncios do Google

Scott Moorhead, fundador do Aperto One, disse:

“O fundamental é a definição de in-house e é aqui que as manchetes que podem sair do relatório podem ser enganosas. Ter um pouco mais de pessoas programáticas na equipe realmente conta como interno?

“Se você está dizendo que metade dos anunciantes do Reino Unido está executando programática de ponta a ponta internamente, absolutamente não – não chega nem perto. Algumas marcas de setores como viagens e jogos de azar fazem muito internamente e outras certamente estão pensando nisso, mas a maioria entende que a terceirização de tarefas é vital”, acrescentou.

“Finalmente, a eficiência de custos e o valor na forma mais verdadeira não são resultados prováveis ​​do in-house. Se houver uma ambição de economizar dinheiro, o programático interno não é necessariamente uma maneira de fazer isso”, continuou ele.

Clique aqui para ver a pesquisa.