Início » Google explica o método que utiliza para ordenar o conteúdo presente no site da receita.

Google explica o método que utiliza para ordenar o conteúdo presente no site da receita.

por Marketing Digital Learn

O Google explicou como seus algoritmos processam o conteúdo presente no site de receitas, em resposta a uma pergunta feita no X (anteriormente no Twitter) sobre se a empresa dá preferência a receitas mais simples e resumidas em comparação às que possuem comentários adicionais.

Discussão sobre a maneira de preparar um prato.

A maneira como as receitas são apresentadas tem sido motivo de debate recentemente, pois houve acusações de que alguns sites têm inserido informações desnecessárias com o objetivo de melhorar sua classificação nos mecanismos de busca.

Com a concorrência aumentando no mercado de receitas, os criadores buscam se destacar – alguns utilizando estratégias de SEO, enquanto outros optam por se diferenciar pela simplicidade.

Isso deixou o Google em uma situação complicada. As fontes de receita dependem muito do tráfego de busca, no entanto, muitos usuários preferem a praticidade e se incomodam com introduções longas antes de encontrar os ingredientes e as instruções.

Postura matizada do Google.

X usuário @IntrovertedGeekUK consultou Danny Sullivan, representante de buscas do Google.

“Podes ajudar-me a compreender o Danny? Sobre os sites de receitas: em teoria, o utilizador procura uma receita e pronto. Simples. Sem complicações. Mas será que o Google vai mesmo classificar (e sabe como) uma lista simples de ingredientes e método?”

Em uma sequência de publicações no Twitter, Sullivan esclareceu que o objetivo do Google é satisfazer uma variedade de preferências, não se limitando apenas às opções mais básicas de receitas.

Sullivan afirma por escrito:

Algumas pessoas buscam apenas uma relação de ingredientes. Outras preferem receitas provenientes de indivíduos ou locais que lhes sejam familiares. Há também aqueles que desejam uma receita acompanhada de informações adicionais sobre sua origem e significado para quem a compartilha. As preferências variam de pessoa para pessoa, e nossos sistemas procuram oferecer o que geralmente é considerado útil.

Leia:   Explicando como empregar as extensões de Inteligência Artificial (AI) e Chrome para alcançar ganhos velozes em SEO.

Entretanto, Sullivan admitiu que houve reclamações de que algumas receitas apresentam um excesso de comentários antes de fornecer os ingredientes e as instruções.

Sullivan prossegue:

“Acredito que os criadores de conteúdo devem considerar esse aspecto. Se desejam atrair esse público-alvo, é importante assegurar que seu conteúdo seja útil de maneira acessível, com fácil acesso aos elementos essenciais.”

Ele destacou a importância de respeitar as escolhas dos criadores na forma como apresentam as receitas.

Sullivan chegou a uma conclusão:

Se alguém deseja compartilhar informações adicionais sobre sua receita porque é significativo para eles, útil para si mesmos e seus leitores, ou simplesmente porque desejam, isso é uma escolha pessoal que merece ser respeitada.

Qual é o tipo de conteúdo que costuma ser útil em geral?

O Google utiliza inteligência artificial avançada (IA) para decidir quais tipos de conteúdo são considerados relevantes para classificação.

Algoritmos como BERT e MUM utilizam aprendizado de máquina para compreender o significado, contexto e intenção por trás das consultas dos usuários, enfrentando obstáculos como sinônimos e sarcasmo. Essa abordagem possibilita ao Google oferecer resultados relevantes mesmo quando as buscas não incluem palavras-chave específicas.

Enquanto as receitas são um tipo de conteúdo que é otimizado por esses sistemas, o Google emprega a inteligência artificial para compreender e responder a uma ampla gama de consultas de informação, abrangendo desde letras de músicas até descrições de produtos e questões de programação.

Ideias principais para editores.

A troca promove transparência na abordagem direta do Google em relação à receita, buscando encontrar um equilíbrio entre a simplicidade e a voz do autor.

Ele destaca a relevância de priorizar os usuários, evitando a criação de conteúdo excessivamente elaborado.

Leia:   Facilidade de leitura de Flesch: o que um teste de legibilidade significa para SEO

À medida que os avanços nos sistemas do Google continuam, a empresa se mantém comprometida em orientar os criadores sobre as práticas ideais para otimização de busca orgânica.

Foto em evidência: ra2 studio/Shutterstock

Você Pode Gostar